segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Echinopsis subdenudata

Echinopsis subdenudata é mais uma planta da família Cactaceae que é cultivada e vendida enxertada. É originária da Bolívia.
Essa eu comprei enxertada e retirei do cavalo. O resultado é esse aqui:
Depois de algum tempo, a planta deu flores (primeira foto) e, logo após, vários brotos laterais. 
Veja abaixo a planta com esses brotos e novos botões florais. Repare que, como a planta foi cultivada "no tempo", tomando chuva e sol direto, os espinhos apareceram entre "tufos" que parecem algodão e que eu acredito que sejam gloquídeos (por favor, me corrijam se estiver errado!). 
Aqui, as flores em detalhes:
Elas são grandes, delicadas e não duram muito, mas valem a pena:
Quanto ao cultivo, requer solo bem drenado e aceita sol direto. As regas podem ser esparsas, principalmente no inverno. Cuidado com os períodos de estiagem, pois, se a planta ficar muito desidratada, uma rega exagerada pode fazer com que ela absorva água demais e "rache". Ela não morre, mas a aparencia não é muito boa. Adubações freqüentes são indicadas para aumentar o número de flores.

sábado, 18 de outubro de 2008

Sedum adolphii

Sedum adolphii, da família Crassulaceae, precisa de algumas horas de sol direto para ficar com as pontas das folhas avermelhadas e com a aparência compacta. No mais, não requer cuidados especiais.
As folhas mais velhas tendem a cair, como na foto abaixo, mas novos brotos aparecem na base da planta.
Note a distribuição "em espiral" das folhas:
As flores, surpreendentemente, são tetrâmeras, ou seja, as partes florais aparecem em número de quatro: quatro pétalas, quatro estames, e assim por diante. Normalmente, nos seduns, as flores são pentâmeras.

Sedum morganianum




Sedum morganianum é uma planta comumente encontrada em cultivo e é, pelo que me lembro, uma das primeiras suculentas que vi na vida. Seu nome popular é Rabo-de-burro e é originária do México.
Da família Crassulaceae, S. morganianum tem as folhas pontudas e apresenta um hábito pendente. Por isso, deve ser cultivada pendurada ou em muros, pois fica muito comprida.
Gosta de solo rico e bem drenado, mas aceita praticamente qualquer substrato que não fique muito encharcado.A propagação é fácil, por estacas caulinares ou foliares.
Quanto à luminosidade, aceita de sol pleno à meia sombra, mas deve ser adaptada aos poucos. Se colocada direto no sol, pode apresentar queimaduras como as da planta abaixo.A floração acontece no início da primavera e as flores são um pouco diferentes da maioria dos seduns. Veja:
As vezes é confundida com S. burrito, mas esse possui folhas menores e de pontas arredondadas. Além disso, S. burrito tem aparência mais compacta. Veja uma foto das duas lado a lado:

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Kalanchoe longiflora

Da família Crassulaceae, Kalanchoe longiflora é comumente vista em jardins, e algumas vezes encontrada entre colecionadores.
Planta muito resistente, resiste aos mais severos ambientes.
Pra ficar com essa cor avermelhada precisa de sol pleno, mas pode ser cultivada à meia sombra, onde vica verde mais escuro.

A floração acontece no fim do inverno e início da primavera. As flores são pequenas, amarelas e não muito atraentes. A inflorescência é comprida e fininha. Se não estiver em sol pleno, a inflorescência tente a cair, não conseguindo ficar ereta. Veja as flores: